terça-feira, 24 de novembro de 2009

Trinta anos depois - 1979/2009 - STBSB e lembranças do 1º ministério em Belford Roxo - 1974/1978

Queridos amigos

só na semana passada me dei conta que este ano estou fazendo 30 anos de formada pelo Seminário do Sul - Bacharel em Música Sacra com especialização em regência.

Quantas lembranças, quantos amigos, quantos sonhos. Sobre isto escreverei em outra ocasião.

Como o tempo passa...



Domingo fui pregar na Igreja Batista Central de Belford Roxo, Rua Lúcia, 166 - onde comecei e exerci meu 1º ministério de música, com meus 23 anos. Fui a 1ª MM deles, assim eles me reconhecem e mencionaram isto lá dia 22/11.

Comecei nesta igreja, no meu 2ª ano de STBSB (1974). Em 1978 saí de lá com dois filhos pequenos e voltei para o STBSB para fazer o 4º ano em 1979 e para a 2ª Igreja Batista do Rio. Em 1975 eu teria me formado, mas ter meu filho que nasceu naquele ano, era o mais importante. Entrei em 1972. Parei ao final do 3º e voltei em 1979.

Que emoção voltar 31 anos depois, e estar no belo templo que eu ajudei a construir nos mutirões que lá fazíamos regados ao Angu á baiana. Lembrar dos baldes de cimento que todos carregavam como formiguinhas, com o pastor Paulo Seabra à frente.

Lembrar dos adolescentes (meu 1ª amor) e do ônibus Evanil que eu pegava na Praça Mauá, durante a semana para visitar cada um, e com um barrigão imenso esperando pelo meu primogênito. Saudades do coro de adolescentes da região, onde conheci e convivi com muitos que hoje estão firmes e em seus ministérios como Marco Antônio Figueira, Pr. Sócrates Oliveira e MM Marciano bem novinhos, bem adolescentes. Ver os jovens e adolescentes da época firmes e atuantes na Igreja ou em outras da região com seus filhos e netos.



Que bom abraçar o forte e firme irmão Franco (83 anos) – amado e querido vice-moderador da Igreja na época e por muitos anos e a minha companheira e amiga - a minha 1ª empregada – Maria da Glória. Minha amiga/anjo/irmã que me ajudou muito com meus filhos, que saiu da minha casa para casar com o jovem sapateiro/artesão Josias Mendonça, que se tornou pastor e hoje junto seu filho Marcelo servem ao Senhor na Igreja Memorial de B. Roxo já por 20 anos.




Rever o Ghandi e Nana Lugão que moram hoje em Brasília e saber que Marcio, seu filho, companheiro de brincadeiras com os meus, hoje é missionário no navio Doulos. Rever Guaraci e esposa, Libânio e Luiza, Gilberto e Eneida com seus filhos, Marilane Pacheco - a querida amiga que me convidou, Sara, Silas, Vaval (pr. Dermerval), Elias, Márcia, Rosilene e sua mãe, Marlene Coutinho, Selma do Jovelino, César e Quésia Valim - filhos do Jeziel e Lourdes Valim falecidos, o zelador Pedro e Hilda, Adonis, Naura e Nathalia que me conduziram e tantos beijos e abraços e rostos, além de conhecer de perto o Pr. Geovani Colares, sua esposa Ilaura e seu filho caçula Geovani Junior.



Meu Deus o tempo passou.
Passou mesmo...

Que dor “doída” de saudade de ver o banco que minha irmãzinha caçula – a
Débora - sentava e ficava tomando conta do meu 1ª filho - o João Marcos e depois o caçula Felipe, enquanto eu ensaiava os coros. Depois o banho deles na casa do zelador, as mamadeiras, meu banho e o começo do culto. Aquilo que muitos de nós já fizemos e outros ainda fazem e farão.

Todos os domingos deixava minha casa no Méier, as 6h da manhã e seguia com a prole para o programa na Rádio Solimões, Nova Iguaçu - e voltávamos para casa depois das 22h30 ou mais. O café da manhã depois da Rádio era na casa do irmão Lugão (diácono) e o último lanche depois de atender e despedir o povo era também neste mesmo Lar. Os almoços eram nas casas dos irmãos. Noite alta, hora de enfrentar a Dutra e depois a Avenida Brasil, escura e já perigosa na época - cansados, mas felizes para a semana pesada e de tarefas na JMN (pr. Seabra e eu com filhos, casa e familiares)

Difícil falar tudo, escrever tudo...

Que alegria rever pessoas que muito abençoaram a mim e minha família, lembrar as cantatas, o princípio de tudo, o harmônio que a JMN emprestou, as aulas de flauta, os adolescentes, as carreatas e "arrastões" evangelísticos, o frango que aprendi vendo D. Nerci Lugão (a eficiente secretária da Igreja) fazendo aos domingos. Hoje, ela, com cerca de 90 anos e sem poder andar muito com osteoporose, sem ouvir, estava lá para me ver, com o mesmo sorriso e seu jeitinho quieto.

Quem morreu, quem está firme em Cristo, quem abandonou as fileiras cristãs, quem é você, você lembra de mim? Foi muito difícil falar neste domingo, mas Deus é bondoso e nos ajuda, não?

No dia do Ministro de Música da CBB ganhei este presente de Deus.

É já vivi muito... e estou quase me aposentando.
Faria tudo de novo.

Não sei se tudo igual, mas como saber, se não vivemos estas situações antes?


Deus é muito bom, misericordioso e justo!


Algumas fotos:












abraços
westh ney - http://blogdawesth.blogspot.com/
Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil - STBSB, Tijuca - Rio
Um lugar onde se aprende a orar, a liderar e a pesquisar.
Cursos de Teologia, Música e Pedagogia
www.seminariodosul.com.br

8 comentários:

  1. Que bom é participar desse depoimento, minha irmã, West Ney!
    Bom por perceber que o nosso andar pode ser num caminho de bênçãos, abençoando as vidas que caminham conosco.
    E nos serve como ânimo diante do caminho que o nosso Deus nos traça e nele nos dirige.
    Bom por percebermos a Palavra de Deus sendo cumprida através das nossas vidas, assim como está sendo através da sua. Nela nós temos: "Portanto assim resplandeça a vossa luz diante dos homens para que vejam as vossas obras e glorifiquem ao vosso Deus..."
    O meu desejo é o que lendo, pregando, regendo, pregando ou em quaisquer outras atividades, a sua vida seja contemplada a tal ponto que o nosso Deus seja engrandecido.
    E não ligue para o tempo porque a luz consome para que possa brilhar.
    E grande e boa coisa é ser consumido para servir de condutor a luz que brilha para orientar corretamente na direção do nosso Mestre, Salvador e Senhor Jesus Cristo.

    Deus nos abençoe e muito!
    Dc.Henri - Membro da OBBH.

    ResponderExcluir
  2. Que emoção hein? Que história! Queria estar lá e ver tudo isso. Vc merece todo reconhecimento.
    vc já "ralou" muito hein! Mas nem pensar em se aposentar a gente precisa de vc na ativa.Além do que, o que é que vc vai fazer com essa sua cabeça que não para de pensar? rsrsrsr bjs Parabéns!!!
    Cláudia

    ResponderExcluir
  3. Westh,

    Puxa... lembro de você na SIB Rio com gratidão.

    Meu pai (irmão Doniel, filho do Diácono Nestor Muniz) sempre falava de você com os olhos brilhando. Ele fazia questão que eu cumprimentasse você todas as vezes que eu ia à esta igreja.

    Engraçado hoje termos um carinho tão especial uma pela outra. Apesas dos sem-número de 'puxões de orelha' que levei e ainda levo de você, agradeço a Deus por sua vida.

    30 anos?? Quem disse que vai se aposentar? E se o grande patrão resolve lhe dar outras nobres missões como essas?

    Sua marca: servir no Reino com alegria!

    Deus seja louvado por sua vida e... Parabéns pelos seus 30 anos de Ministério Musical. PA-RA-BENS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    beijo.

    ResponderExcluir
  4. Westh,
    Linda sua trajetória de vida e ministério.
    Um saudoso abraço,
    Ednardo

    ResponderExcluir
  5. West eu era sua adolescente me lembro que na intimidade seu marido lhe chamava de perezinha, fui a sua casa no meyer quando vc estava gravida do primogênito eu declamava, cantava no grupo dos adolescentes. Foi muito legal nunca te esqueci me lembro da Minilu, Samie, minha lembrança da da Debora é muito curta. Vc e o Pastor Paulo Seabra eram meus ídolos Eu era muito pobre ia apé para a igreja do bairro bom pastor até a Rua Lucia. Meu Pai sr. Adilio e Nair foram zeladores da igreja não me lembro se ainda no seu tempo. Hoje Sou jornalista, escritora, não frequento mais nenhuma igreja mas não me desvio do que aprendi e busco a Deus em todos os momentos da minha vida e tenho todas as resposta. Me lembro muito de vc nos ensinado a cantar a musica Existe um lugar , longe do mundo mal do qual Jesus vem me falar. e nesse seu jardim encontro a força em fim, do amor que meu Jesus me da seu livro tenho a mão que trás ao coração a paz paz que em mim não há etc.etc.etc me lembro de vc ensinado-nos a cantar fazendo biquinho rsrsrsrs Tomara que vc ainda se lembre de mim Zizi ou Deuzeni não me lembro se vc me chamava pelo nome ou apelido . Ia se foram mais de 30 anos. Bons tempos Para vc desejo muita saúde e sucesso no seu Ministério Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. querida, quanto tempo... Saudades

      Excluir
  6. jorge luiz santos5/11/16 16:34

    Irmã iracema de mendonça lima, se formou no STBSB da tijuca,no ano de 1975. Nunca mais a vi.Gostaria de noticias dela.

    ResponderExcluir
  7. jorge luiz santos5/11/16 16:38

    jorge luiz santos, email:jlsantos1953@bol.com.br

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui para que possamos refletir juntos. Obrigada por visitar e escrever .