segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Não fui à Igreja ontem por causa do barulho!


Hoje depois de muito tempo sem querer escrever nada.
Não é original o assunto, mas é a decisão de muitas pessoas hoje. Infelizmente.
..............................

Caros amigos
tenho recebido reclamações e ouvido depoimentos vindo de pessoas de diversas idades. Já estou "quase" me acostumando com este assunto, sem solução. Ontem um casal de amigos jovens me confidenciou a mesma coisa.

Hoje minha mãe telefonou às 6h45, com um bom humor e disposição que há muito tempo não vejo. Ri muito com ela. O único detalhe mais triste é que disse que ficou em casa o dia todo por causa do barulho que não estava disposta a ouvir ontem.
Que pena, ela tem 79 anos, é inteligente e independente...

Estava toda feliz há 15 dias porque ganhou uma medalha de ouro, de honra ao mérito por saber mais textos bíblicos e com a referência, no seu grupo de idosos. Fez maior sucesso por causa da sua memória Sua cabeça está ótima e seu senso estético também. Seu ouvido está cada dia mais sensível e ouve TUDO. O que eu acho desnecessário, pois deveria é diminuir, pois dependendo da idade e do meio em que vivemos é muito bom ouvir um pouco menos.

Disse que não estava disposta a ter que se controlar e ficar na igreja tendo que ouvir uma congregação cantar SÓ muito animadamente, quase aos gritos, com muitos instrumentos e microfones altos. Dizia ela ao telefone: - "Porque não cantar mais suave e a meia-voz disse ela. Ninguém aguenta tanto som e ritmos sem variações e o tempo todo. Parece uma fábrica de loucos! "

Dona Elcy, minha mãe, disse que o melhor culto deste mês foi o dia que aconteceu um apagão no meio do culto. Ela disse que foi ótimo. Gente, o ano está apenas começando... O pastor continuou o culto, andando pelo meio do povo, sem falar muito alto e a música reduziu a uma somente. Ela então pode ouvir a sua própria voz e a dos seus irmãos da congregação.

Já escrevi sobre isto muitas vezes, e confesso que estou me cansando desta "novela”, mas agora nas férias foi o assunto constante das rodas de amigos por onde andei. Não iria falar, mencionar mais nada sobre este assunto cansativo, mas minha mãe hoje e meus amigos jovens ontem me incomodaram. Acho que não vai dar em nada isto que escrevo, pois as igrejas continuam cheias e enquanto elas estiverem assim, enquanto nenhuma for fechada e nem punida pelo estrago físico que fizer a uma pessoa que conseguir provar que antes de frequentar aquela comunidade ouvia perfeitamente tudo continuará como antes no "quartel do Abrantes".

Alguns líderes não se importam com os que "corriam bem e hoje não mais correm.", pois as igrejas estão cheias. Isto ouvi de um pastor: - “ Não tem problema que cem pessoas estejam saindo. Tem mais 300 entrando...

As igrejas estão cheias sim.
Cheias de pessoas fazendo rodízio, de visitantes, de gente nova que vem e que some depois. Tem gente nova migrando de uma para outra igreja ou denominação, tem uma população flutuantes de fíéis, de necessitados. E se cantarmos ou disfarçadamente for mencionado em um sermão um aceno de "prosperidade" ali continuarão por algum tempo. Quando tudo passar largarão a bengala eclesiástica e sairão andando sozinhos pela vida, cauterizados em suas mentes e corações...

Os pastores e os membros das igrejas são os responsáveis por isto. Aliás, os membros das igrejas deveriam saber a força que possuem e não ficar na mão dos que chegam falando em nome de Deus, manipulando e retirando todos os parâmetros e características específicas e especiais de cada igreja local. Mas, isto é outro assunto e eu preciso não me aborrecer por isto mais. Morrerei e tudo continuará na mesma. Ilusão achar que podemos mudar alguma coisa, mas isto é também outro assunto.

Meu marido anda completamente desanimado com os crentes (na realidade ele diz - os batistas) que ele afirma serem "pacíficos" demais, passivos e acomodados. Está assustado e ao mesmo tempo irado com o que tem ouvido e visto. Eu não posso mais protegê-lo, pois já não é tão crente novo assim (já tem sete anos de conversão).

Já sei até o que vou ouvir ou ler quando soltar este e-mail. Nós, os crentes, somos muito previsíveis (no bom e no mau sentido também), infelizmente.

Bem, o assunto era sobre minha mãe e o som alto das igrejas.

abraços
westh ney - http://blogdawesth.blogspot.com/
Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil - STBSB, Tijuca - Rio
Um lugar onde se aprende a orar, a liderar e a pesquisar.
Cursos de Teologia, Música e Pedagogia
www.seminariodosul.com.br