terça-feira, 23 de maio de 2017

Elza Lakschevitz (1933 - 2017)

                                                  por Westh Ney Rodrigues Luz, escrito em 2014 /maio de 2017.
 

Dados biográficos (uma parte) do boletim da liturgia do culto de gratidão (Igreja Batista Itacurucá) pela vida da querida de todos nós - Elza Lakschevitz.  Foi escrito por mim, sendo parte de uma monografia onde abordei sua vida, seus ensinos e parte de sua obra em 2014.

Elza Lakschevitz, carioca,  filha de Arthur Lakschevitz –  músico e professor leto – importante nos primórdios da música sacra evangélica no Brasil. Pianista, compositora, organista e regente formada pela Escola de Música da UFRJ, ex-professora e regente do Orfeão do Instituto de Educação do Rio de Janeiro, da Escola de Música "Villa-Lobos", do IBER– Instituto Batista de Educação Religiosa e do STBSB - Seminário do Sul. Coordenou na FUNARTE, com o projeto Villa-Lobos um grande movimento coral no país, um marco.

Regente dos coros infantis – Curumins, do Theatro Municipal e do Coro Infantil do Rio de Janeiro. Regente de coros de igrejas, do Canto em Canto, da Associação de Canto Coral (ACC); diretora da Oficina Coral do Rio de Janeiro. Em 1988 recebeu da AMBB, o prêmio “Arthur Lakschevitz”. Em 2001, recebeu a medalha “Áster Artis” da Academia Evangélica de Letras do Rio de Janeiro.


Representou o Brasil como jurada de concursos internacionais de coros em geral e de coros infantis nos EUA e Europa, além de reger o Coro Infantil do Rio de Janeiro na Espanha e Portugal. Composições dedicadas para Elza, dos brasileiros Ronaldo Miranda, Vieira Brandão, Edino Krieger e Ernani Aguiar foram regidas e lançadas pela primeira vez no mundo musical por ela. Atuou em diversos cursos e congressos, com um expressivo trabalho reconhecido nacional e internacionalmente. Na Igreja Batista Itacuruçá, colaborou e formou um grande número de discípulos, criou coros (feminino, infantil, misto) criando belos arranjos e composições, deixando um legado para a música sacra evangélica no país com partituras editadas.

A vida da Elza fala por meio de todos que alcançaram seus ensinos, que tiveram oportunidade de cantar com ela, e que aprenderam sobre a arte dos detalhes com a mestra. Seus ensinos, direção, elegância, postura e esmero nos seus trabalhos estão marcados em todos nós, em toda a geração que aprendeu com ela e que com certeza fluirá de nós para os que alcançarmos.

No dia 16/08/08 aconteceu na Escola Nacional de Música da UFRJ a cerimônia de homenagem à professora Elza. Emocionante ver jovens que tinham sido seus coristas quando crianças, adultos que tinham sido seus jovens e que estavam ali para cantar juntos a música Cantares - letra de Valter Mariani e música de Ronaldo Miranda.

Elza – a esposa do Rui Xavier Assunção, a mãe do Eduardo e do Maurício, a avó da Sofia e Luiza, a sogra da Gisele deixa uma lacuna que nunca será preenchida, mas que deixará a marca da sua presença e amor entre eles e todos os familiares. Ela está nos braços do Pai. Ao Senhor Deus toda a glória!
..

Posteriormente escreverei com mais detalhes.
.
                                                                                      Westh Ney Rodrigues Luz, texto e foto (2008)

Um comentário:

  1. Ela foi minha professora na infancia de 1973 a 1979 no Escola de Música Villa Lobos. Sou apaixonada por ela. Que pena saber de seu falecimento. Me mudei tem 22 anos do Rio e perdi o contato. Que saudades. Que lacuna mesmo. Jaqueline Moreira de Araújo

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui para que possamos refletir juntos. Obrigada por visitar e escrever .