segunda-feira, 15 de abril de 2013

Memórias - Colégio Batista Brasileiro, Rio e Santos Dumont, Fortaleza, Ceará


Tem tempo que não escrevo. Ando cansada e o facebook me rouba a energia...rsrsrsrsrs
Desde ontem estou pensando e rememorando algumas coisas...

Colégio Batista - durante minha vida profissional trabalhei em dois. 
No Colégio Batista Brasileiro, na Conde de Bonfim na Tijuca/ Rio, com o querido diretor Joaquim Silva, que quando me contratou disse para eu não fazer uma revolução no Colégio. Ele tinha sido meu diretor na ACM quando eu era estudante do Científico e quando havia uma efervescência política na época, final dos anos 60 e fechamento dos centros acadêmicos e passeatas pelo centro do Rio. No Batista Brasileiro lecionei História para o antigo fundamental (da 5ª a 8ª série) nos anos 80. 

No Colégio Batista Santos Dumont, Aldeota, Fortaleza - trabalhei com música (educação musical) e no Centro de Artes de lá. Da 5ª série até o 2ª grau. Foi um trabalho diferente. O diretor José Milton de Cerqueira era um visionário. Um dia lhe questionei pq estava recebendo já passado um mês sem estar nas salas e ele me respondeu: - Vc não sabe que ganhamos por pensar? Eu não te pedi pra conhecer e pensar um plano e uma metodologia para meus alunos que vivem em Fortaleza, na Aldeota, com padrão X, que viajam pelo mundo e que passam os finais de semana em volta da piscina com churrasco e um tipo de música. O que vc tem para eles? 

As aulas eram em um estúdio com ar condicionado e conforto, com filmes e toda a mídia que podia ter na época.Tinha conhecido o artista alemão Rolf Gelewsky que tinha uma proposta revolucionária de educação musical voltada para a escuta (Estruturas sonoras) com exercícios de concentração e unificação com base em audições (escutas) específicas de música e na movimentação reduzida do corpo. Foi difícil... Em cada série tive que fazer adaptações. Em algumas tive que partir da História do Rock, que tinha em vídeo chegando aos Beatles, RPM até chegar na MPB. Em algumas séries ao colocar em palavras escritas ou desenhadas o que percebiam por meio da música dependendo eu encaminhava para o SOE - órgão responsável inclusive para atendimento psicológico dos alunos. Existiam coros. Em um deles orientei o trabalho e uma cantata linda sobre a Arca de Noé e participamos de grandes eventos corais da cidade. Quando cheguei lá já encontrei evento chamado Modernidade (acho que era isto) onde os alunos criavam um tema e o desenvolvia com danças, música, teatro... 

Aprendi muito nesta Escola - a Escola da Vida (Lema do Colégio Batista de Fortaleza/José Milton) Tem mais coisas - o Centro de Artes, o Hino nacional (acho que era na 2ª ou na 4ª) Pátio cheio, alunos hasteando a bandeira e eu lá. Trabalhei lá de 1983 / 1991. 

Ah... esqueci de muita coisa inclusive das aulas com o Pedagógico. Preparando alunas com o 4º ano para lecionarem em educação infantil utilizando a ferramenta música

Memórias...

Um comentário:

  1. Anônimo8/9/13 08:52

    Prezados amigos, estudei no Colégio Batista Brasileiro nos anos 40 e 50 e aquele local virou referência para mim. Inclusive, minha mãe trabalhou nele. Como lembrança, Dona Celeste foi minha professora, depois tornando-se diretora. Se alguém tiver alguma fotografia de então gostaria de vê-la.
    Abraços,
    MAURICIO MENDES

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui para que possamos refletir juntos. Obrigada por visitar e escrever .